Hortoterapia para dependentes químicos em processo de tratamento

6 anos atrás - Bastidores, Notícias

A equipe do 4.° Andar da Seção Masculina (Prédio Central – SUS) do Instituto Bairral, ala destinada ao tratamento de desintoxicação e motivação de dependentes químicos, tem desenvolvido a atividade de hortoterapia com os pacientes desse setor, sob a coordenação da terapeuta ocupacional Aline Coraça e do enfermeiro Jose Alex Vicente. Ao que tudo indica, a hortoterapia é uma ferramenta que, como uma atividade terapêutica, nasceu antes mesmo da Psiquiatria estruturar-se como ciência propriamente dita, pois já era utilizada nos séculos XVIII e XIX como coadjuvante na melhora de sintomas negativos de pacientes psiquiátricos.

Há relatos anedóticos de que o pintor holandês Vincent Van Gogh teve muitas de suas telas inspiradas nos jardins e culturas com os quais teve contato no hospital onde esteve internado. Isto porque o cultivo de plantas e o trabalho de jardinagem proporcionam o desenvolvimento de uma série de habilidades que podem estar comprometidas na doença da dependência química, tais como a concentração, a perseverança, a paciência, a serenidade, a interação afetiva com algo produtivo e o trabalho solidário em equipe, promovendo bem-estar, redução da ansiedade, aumentando funções sociais e fortalecendo estruturas físicas. Assim, o processo como um todo estabelece também uma resposta emotiva positiva que suscita do produto final criado pelos próprios protagonistas desta “obra”.

Terapeuta Ocupacional Aline Coraça e Monitor Romano

Terapeuta Ocupacional Aline Coraça e Monitor Romano

Monitor Romano aguando um dos canteiros.

Monitor Romano aguando um dos canteiros.