Foto: Rafael De Nadai

“Caso Schreber” foi o tema de estudo do GEP no mês de agosto

4 anos atrás - Bastidores

O Grupo de Estudos Psicanalíticos (GEP) do Centro de Estudos Psiquiátricos Américo Bairral (Cepab) reuniu-se no mês de agosto para estudar o curioso “Caso Schreber”. Em meados de 1911, Freud teve acesso ao livro escrito por Daniel Paul Schreber intitulado “Memórias de um Doente dos Nervos”, no qual o próprio autor apresenta seu depoimento pessoal sobre o desenvolvimento de sua morbidade. Freud não analisou diretamente o paciente, mas pôde fazer avaliações a partir da rica escrita produzida por Schreber. No texto, Freud teceu considerações sobre o auto-erotismo, o narcisismo e o amor objetal como sendo os três principais conceitos dentro do desenvolvimento libidinal. Com a análise do caso Schreber, Freud intensificou e ampliou seu trabalho sobre a temática do corpo, utilizando para isso a teoria da libido, o narcisismo e a paranoia. Schreber, desse modo, eternizou-se como alguém que se permite uma fonte inesgotável de análise e de aprendizado.

Na foto, da esquerda para a direita: R2 Leonardo Afonso dos Santos, Dra. Ana Maria Garcia Mendes Rodrigues, R1 Nicole Nunes, R3 Érica Maia, Dra. Alessandra Diehl, R2 Maria Elisa Bezerra, R2 Alexandre Tzermias e R2 Alfredo Piacentin.

Na foto, da esquerda para a direita: R2 Leonardo Afonso dos Santos, Dra. Ana Maria Garcia Mendes Rodrigues, R1 Nicole Nunes, R3 Érica Maia, Dra. Alessandra Diehl, R2 Maria Elisa Bezerra, R2 Alexandre Tzermias e R2 Alfredo Piacentin.